Os recentes investimentos do SBT nos esportes geraram desconforto no jornalismo, que vê o setor cada vez mais desestruturado, subvalorizado e com falta de pessoal.  Ao mesmo tempo, a esperança que a emissora olhe como se deve para o departamento. Comenta-se que agora que “jorra” milhões de dólares para a compra de eventos esportivos, parte desse dinheiro seja destinado ao jornalismo e que ele deixe de sofrer com falta de profissionais. Muitos deles têm remuneração abaixo do mercado.

Investindo os tubos em campeonatos como a Libertadores e Champions League, além da Copa América que pode pintar em junho, o jornalismo vê seu número de colaboradores cada vez mais reduzido. Sem contratações, há reclamações que quando isso ocorre, é com um salário baixo. Para piorar, há casos que a emissora opta por freelancers, para enxugar ainda mais os custos.

Na visão de fontes ouvidas por esta coluna do NaTelinha, o jornalismo do SBT está sempre de olho na dispensa dos concorrentes para aproveitar profissionais, mas não valoriza os próprios. A situação estaria tão difícil, que há coordenadores de jornalismo compondo seu salário vendendo lanches na redação.

Um dos exemplos recentes da falta de valorização de profissionais foi de Rogério Barolo, que pediu demissão da emissora. Contratado como editor de texto e que atuava como editor executivo do Primeiro Impacto, chegou a solicitar transferência para o esporte, mas não obteve retorno. Pediu demissão. Agora, o SBT terá que buscar no mercado outro profissional a preço de ouro.

Outra reclamação é que o SBT vem demitindo antigos funcionários afastados devido a Covid-19 e contratam, como substitutos, outros sem experiências ou com salários muito aquém do mercado. Em um momento complicado para jornalistas que vão às ruas, o SBT também não oferece escolta policial ou carros blindados. Quem sai, fica com medo de qualquer tipo de retaliação por parte do povo ou de violências rotineiras, que todos nós estamos sujeitos diariamente.

A chegada de Luciano Callegari Jr. é vista com bons olhos pelos profissionais do jornalismo, apesar de dirigir o Esporte. Profissional, a expectativa é que ele consiga montar um departamento competitivo e isso se alastre justamente ao jornalismo, que carece de investimentos maciços.

Procurado para comentar se há perspectivas de investimentos no jornalismo, o SBT afirmou que no momento eles estão voltados para o entretenimento e esportes.

Fonte: UOL
Foto: Reprodução/SBT