Muitos brasileiros tiveram o seu benefício do auxilio emergencial cancelados em 2021. O valor, mesmo que pequeno, ajudava muitas pessoas sendo ate uma fonte única de renda.

A noticia para mil e três beneficiários que tiveram seus cadastros barrados em 2020, passaram por uma reavaliação e agora vão receber os atrasados referentes a parcelas antigas devidas.

Mesmo que seja um número pequeno de pessoas, os valores ainda não tem data de pagamento. Mas segundo o Ministério da Cidadania, serão pagos em parcela única e não terão limite de saque. “Estamos fazendo os cálculos”, informou a pasta.

“Embora (o Ministério da Cidadania) não tenha divulgado quais pedidos foram revisados, muitos beneficiários entraram em contato para informar que começaram a receber parcelas que haviam sido negadas. Nesta segunda-feira, dia 14, o Ministério da Cidadania confirmou que 1.003 eram realmente elegíveis, mas que 419 pedidos estão cancelados ou bloqueados”, informa Paola Carvalho, diretora de Relações Institucionais da Rede Brasileira de Renda Básica, uma das 300 organizações que integram a campanha.

Paola fez questão de destacar que esse pagamento só se tornou possível devido a pressão da sociedade.

“Como os canais de comunicação do Ministério da Cidadania são falhos, os beneficiários encontram apoio nas organizações sociais. Em síntese: quando o governo ouve, os mais vulneráveis ganham”,  avalia Paola.

Muitos casos confusos fizeram com que o cidadão tivesse o beneficio cancelado, entre eles óbitos que não existe. Outras pessoas precisaram entrar na justiça.

Em Cascadura, na Zona Norte do Rio, Patrícia Raposo, de 48 anos, teve seu cadastro reavaliado. Ano passado ela recebeu três parcelas do auxílio emergencial, mas foi dada como morta e não teve como sacar as demais.

Tais Faingrid, de 28 anos, moradora de França, no interior de São Paulo. A mãe de três filhos, e auxiliar de cozinha desempregada, conseguiu receber três parcelas do auxílio por ordem judicial, em setembro do ano passado. Como as demais não vieram, ela entrou na Justiça novamente.

 

Reavaliações de 2020

1.928 pessoas que tinham direito à renda básica de 2020 ficaram de fora do programa de 2021 por ainda estarem com problemas referentes ao ano passado. O número inicial de 1.928 caiu para 1.422, e desse total 1.003 serão contemplados agora.

Os nomes foram enviados ao Ministério da Cidadania pela campanha Renda Básica que Queremos, que reivindica o pagamento de um auxílio de R$ 600 enquanto durar a pandemia.

“Dos 1.422 CPFs analisados, 1.003 foram considerados elegíveis para o recebimento do auxílio emergencial 2020 e/ou da extensão do benefício. A análise de elegibilidade para o auxílio emergencial 2021 está em processamento”, informou o Ministério da Cidadania.

Questionada se houve aumento nas liberações de mais auxílios emergenciais, o ministério informou que o número total de beneficiários no programa deste ano continua em 39,2 milhões de pessoas e que novos lotes de 2021 ainda não foram liberados. “Os 1.003 beneficiários se referem ao ano de 2020”, informou a pasta.

 

Consulta

O ministério alerta que os resultados são divulgados, de forma individualizada, na plataforma.

É importante destacar que serão solicitados ao usuário o número do CPF, o nome completo, o nome da mãe e a data de nascimento.

No mesmo site, além da situação do benefício, é possível consultar as datas de recebimento e de envio dos pedidos, o motivo para negativa, a situação da segunda solicitação e, por fim, a contestação do pedido negado.

Também é possível fazer a consulta pelo site da Caixa (auxilio.caixa.gov.br) ou pelo telefone 111 que, segundo Paola Carvalho, diretora de Relações Institucionais da Rede Brasileira de Renda Básica, é praticamente inviável.

 

Quem tem direito ao auxílio de 2021

Quem recebeu a extensão do auxílio emergencial em 2020

– Trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família

– Os com renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300)

– Quem tem renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

 

Fonte: DOL-Diário Online
Foto: Reprodução