O diretor artístico da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Kentaro Kobayashi, foi demitido por uma “piada” feita há mais de duas décadas sobre o Holocausto, anunciaram nesta quinta-feira (22) os organizadores do evento.

O Holocausto foi o genocídio de cerca de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

“Soubemos que, durante um espetáculo no passado, ele usou uma linguagem burlesca ao se referir a este trágico episódio do passado”, afirmou a chefe do comitê organizador local, Seiko Hashimoto, por isso foi decidida “a retirada do Sr. Kobayashi das suas funções”.

O vídeo foi divulgado na madrugada desta quinta-feira (22) e rapidamente causou grande polêmica e uma resposta dos organizadores: a demissão ocorreu a menos de 24 horas da cerimônia de abertura.

A cena foi gravada em 1998 e mostra Kobayashi e outro ator interpretando comediantes infantis famosos na televisão japonesa.

Em um certo momento, ele se refere a alguns bonecos de papel como “aqueles que você disse da última vez: ‘Vamos brincar de Holocausto!'”.

A plateia ri, e a dupla faz outra piada sobre a raiva que essa referência ao Holocausto provocaria em seu produtor de televisão.

Em comunicado, Kobayashi se desculpou pelo que chamou de palavras “extremamente inadequadas”. “Era uma época em que eu não conseguia fazer as pessoas rirem da maneira que queria, então acho que estava tentando chamar a atenção das pessoas de forma superficial”.

 

Baixas nas Olimpíadas

Kobayashi, um profissional de teatro renomado no Japão, é e o mais novo responsável pela cerimônia de abertura dos Jogos a deixar o cargo.

Na segunda-feira (19), Keigo Oyamada, compositor de uma das canções da cerimônia, pediu demissão por ter assediado colegas deficientes quando era estudante.

Em março, o diretor artístico das cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas, Hiroshi Sasaki, pediu demissão após comentários gordofóbicos.

 

Fonte: G1.com
Foto: Reprodução