A companhia Circo Nós Tantos, do município de Castanhal, apresenta neste sábado (11) o espetáculo “Circo e Carimbó”, uma experimentação artística que mistura circo, teatro de rua e as batidas inconfundíveis do tradicional ritmo paraense.

A estreia será às 10h30, na Igreja Santa Clara no bairro do Rouxinol, parceria com o Clube de Mães do Bairro e, em seguida, às 15h, na Casa de Cultura da Prefeitura municipal, durante a programação do Projeto “Escrita Criativa” que oferece aulas gratuitas de redação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Entrada gratuita.

A apresentação do espetáculo era um desejo antigo do grupo que faz apresentações circenses de rua, mas estava engavetado há cerca de três anos por falta de patrocínio. O espetáculo segue os moldes das apresentações em roda – com o público em volta como no picadeiro.

“Saber abrir uma roda de plateia é fundamental para um artista de rua. Buscamos associar as similaridades entre nossa linguagem, o circo de rua e o carimbó com o que é tradicional dos espetáculos de circo, o jogo entre momentos de comicidade e adrenalina”, detalha o diretor geral, Yure Lee, que há 11 anos fundou o grupo juntamente com o irmão e um amigo.

A possibilidade de retomar o espetáculo ocorreu no final do ano passado, com o incentivo da Lei Aldir Blanc. A retomada da dramaturgia, do roteiro e da produção dos materiais cenográficos foram reiniciadas.

“Partimos de trechos das tradicionais melodias ou de determinados versos para construímos nossas cenas. O carimbó está em todas as cenas e é tocado a cada instante guiando o que acontece em cena. Tive essa ideia há muitos anos após assistir novamente o documentário ‘Chama Verequete’. Montei algumas cenas, esquetes individuais a partir da temática do carimbó”, lembra ele, responsável pela concepção do espetáculo.

A dinâmica é simples e envolve os atores em cena a partir das indicações das letras da música. “Por exemplo, quando a música diz ao fundo ‘o peru tá rodando’, entramos na cena e dançamos e brincamos comicamente e acrobaticamente com o ato de girar. Os personagens partem de nossa experiência em palhaçaria e estudos de personagens cômicos regionais como os matutos dos Pássaros Juninos, de Belém e o Boi Bumbá, do Maranhão”, detalha o diretor.

Entre os personagens estão Carimboleiro (Rodrigo Ethnos), músico que conduz todas as cenas e acaba sendo o narrador da história; Nega (Gabi Alcântara), uma homenagem a beleza e bravura das mulheres afro-amazônidas e o Caboco (Yure Lee), um jovem que vem do interior e se apaixona por uma moça dançando carimbó. Ele também vive o “Guarda”, personagem que faz a repressão ao carimbó em uma das cenas.

As músicas escolhidas para direcionar a apresentação são bem conhecidas do público. Entre elas estão “O carimbó não morreu”, “Chama Verequete” e “Xô peru”. “Elas têm refrões fáceis e que as gerações mais novas acabam por já conhecer. Nossa ideia é que o batuque do carimbó contagie a plateia juntamente com nossas esquetes e números circenses”, resume.

Inicialmente as apresentações seriam todas no formato virtual. Mas com o avanço da vacinação e da mudança de bandeiramento em todo o Estado, o grupo resolveu apostar nas apresentações presenciais.

“Ainda assim solicitamos às instituições que firmaram parceria para estas apresentações conosco que garantisse que todos os presentes usassem máscaras e que o limite de 50% da capacidade dos locais fosse respeitado”, diz ele, ressaltando que em 2020 todos os espetáculos do grupo foram em formato online. “Por isso, a ansiedade da estreia, mas estamos confiantes que tudo vai dar certo e que o público terá boas surpresas”, completou.

 

Agende-se:

Espetáculo “Circo e Carimbó”, da Companhia Circo Nós Tantos

Data: Dia 11, às 10h30, na Igreja Santa Clara, no bairro do Rouxinol, Castanhal
às 15h, na Casa de Cultura da Prefeitura de Castanhal
As apresentações são gratuitas

 

Fonte: O Liberal
Foto: Elen de Jesus/Divulgação