Localizada a cerca de 30 km de Barbacena, no Campo das Vertentes, a cidade de Santa Bárbara do Tugúrio tem caído no gosto dos turistas e moradores por causa das belezas naturais. E o jovem Alex Garcia, de 19 anos, faz parte do reconhecimento da pacata cidade mineira.

Aos 17 anos, no início da pandemia de Covid-19, ele criou uma página no Instagram para divulgar as trilhas e cachoeiras que frequentava e que eram praticamente desconhecidas. Com a ajuda de um colega, começou a ganhar seguidores e hoje conta com mais de 12 mil acompanhantes.

“A gente fazia trilha e procurava cachoeiras, tirava fotos e à noite postava. Então começamos a levar as pessoas. Eu nunca tinha pensado em ser guia. Levei umas seis pessoas, sem saber nada de turismo”, contou.

 

Oportunidade

 

Visitantes em trilha de Santa Bárbara do Tugúrio — Foto: Sistema Faemg/Divulgação

                                                  Visitantes em trilha de Santa Bárbara do Tugúrio

De acordo com Alex, mesmo com a pandemia de Covid-19, ele encontrou uma forma prazerosa de gerar renda e começou a apresentar lugares menos movimentos para fugir das aglomerações.

Começou a ser procurado e, muitas vezes, levava turistas para fazer trilhas apenas para fazer companhia e conhecer pessoas.

Depois de um tempo, os próprios visitantes incentivaram que ele recebesse pelos serviços de guia, e então ele aproveitou a oportunidade.

“O que mais me motiva a trabalhar com o turismo é conhecer pessoas. Fiz muitas amizades, conheci tradições, culturas diferentes”, ressaltou.

 

Redes sociais para divulgação do trabalho e das belezas naturais

Rampa da Penitência em Santa Bárbara do Tugúrio — Foto: Sistema Faemg/Divulgação

                                           Rampa da Penitência em Santa Bárbara do Tugúrio

Foi através das redes sociais que Alex recebeu o 1º contato de possíveis clientes, um grupo de praticante de voo livre. Os integrantes queriam um local para fazer o salto e o guia apresentou a Rampa da Penitência, um dos pontos turísticos mais famosos da cidade.

“O primeiro voo foi um sucesso. Eles curtiram muito e fizemos uma boa amizade. Depois, eu comecei a procurar novos pontos de salto e divulgar o voo livre na cidade”, contou Alex.

Em 2020, surgiu a ideia que fez a cidade entrar de vez na rota turística, inspirada em uma foto que o Alex viu nas redes sociais. Na imagem, havia um balanço em um local muito alto, e ele decidiu recriar a ideia na Rampa da Penitência.

Bastou um pôr-do-sol para a nova atração chamar atenção. Depois de postar a foto do fim do dia, houve grande procura, e Alex chegou a levar 600 visitante em um único dia.

Agora, Alex também é contratado por agências de viagens de cidades próximas, como BarbacenaJuiz de Fora e Ubá.

“Conheci a galera do rapel, fiz as revoadas, que são eventos de voo livre, investi nas trilhas. Até hoje só eu faço esses caminhos. Quando preciso chamo meus irmãos, alguns amigos. Eu tenho seis pessoas que trabalham comigo de freelancer”, contou.

Além de ver retorno financeiro, a população da cidade começou a ganhar com o turismo, que movimenta todo o setor, desenvolvendo pessoas e lugares.

“É muito bacana, pois não foi só eu que ganhei. As pessoas comem em restaurantes, dormem em pousadas, movimentam os bares da cidade, compram medicamentos, pedem lanche. Eu percebi que, através das minhas ações, a cidade inteira está ganhando”, completou.

A página @santa_barbara_do_tugurio no Instagram atualmente tem mais de 12 mil seguidores. Nela é possível conhecer as atrações e eventos realizados na cidade. Também traz informações sobre trilhas, cachoeiras, pacotes e serviços para turismo rural.

Página já conta com mais de 12 mil seguidores — Foto: Sistema Faemg/Divulgação

                                                 Página já conta com mais de 12 mil seguidores

Impulsionamento da profissão de guia

 

Pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Sistema Faemg), o jovem fez cursos de “Turismo Rural” e de “Condutor de Trilhas” para se capacitar na profissão de guia.

Segundo ele, poder adquirir conhecimento técnico foi uma forma de conhecer melhor o terreno e a região como um todo.

“Conhecer a região, a comida, a cultura, os locais onde você vai, o que pode ser aproveitado, isso é muito importante. Conhecimento é tudo”, completou.

 

Após os cursos, Alex investiu na postura profissional e reformou um espaço na própria casa para receber os turistas e servir o típico café mineiro, coado na hora.

“Senti muita diferença, na hora de me apresentar para os grupos, falar sobre os roteiros, da cidade, da cultura, das pessoas locais. Eu entrei de uma forma no curso, e saí de outra, com novos olhares”, comentou.

Alex em um dos cursos do Senar Minas — Foto: Sistema Faemg/Divulgação

Fonte: G1
Foto: Sistema Faemg/Divulgação