O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou hoje uma nota em que defende um voto “pró-democracia” nas eleições deste ano.

 

Veja a íntegra da nota:

“Como é do conhecimento público, tenho idade avançada e, embora não apresente nenhum problema grave de saúde, já não tenho mais energia para participar ativamente do debate político pré-eleitoral.

Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional.

Fernando Henrique Cardoso
Ex-presidente da República”

O tucano não citou nenhum dos candidatos à Presidência nas eleições deste ano nominalmente. O PT esperava que o ex-presidente manifestasse apoio à campanha de Luiz Inácio Lula da Silva já no primeiro turno, mas não houve acordo.

Além de FHC, o senador José Serra (PSDB-SP) também foi abordado pelo partido. O plano era que os tucanos integrassem a frente de ex-presidenciáveis favoráveis à candidatura de Lula. Na última segunda (19), o petista se reuniu com oito ex-candidatos que declaram apoio a ele: seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), Guilherme Boulos (PSOL), Luciana Genro (PSOL), Cristovam Buarque (Cidadania), Marina Silva (Rede), Fernando Haddad (PT), Henrique Meirelles (União Brasil) e João Goulart Filho (PCdoB).

 

Voto útil

O voto útil tem sido defendido por apoiadores e pela campanha de Lula (PT), que vislumbram a possibilidade de vitória do petista já no primeiro turno.

Nas últimas semanas, figuras públicas do entorno do ex-presidente anunciaram voto em Lula, dentre eles, Miguel Reale Jr, ex-ministro da Justiça do governo FHC.

 

Fonte: UOL Eleições 2022
Foto: JF Diorio/Estadão