As autoridades italianas anunciaram neste sábado (03/12) que as buscas pela última pessoa desaparecida no deslizamento de terra que afetou a ilha de Ischia há uma semana continuam em Casamicciola Terme.

Até o momento, já são 11 mortes confirmadas, incluindo três casais e quatro menores de idade, entre eles um recém-nascido de apenas 22 dias. A última desaparecida foi identificada como Mariateresa Arcamone, de 31 anos.

Os bombeiros ainda trabalham para liberar a área dos resíduos do deslizamento. No momento, a estrada estadual é transitável em uma via alternativa apenas para veículos de emergência.

”Trata-se de uma via estratégica para a retomada das atividades e das condições normais de vida que se impõem na ilha”, explicou o chefe da Defesa Civil Regional, Italo Giulivo.

De acordo com o italiano, “foi acordado com o departamento nacional de Defesa Civil o uso de seus centros de especialização com tecnologias inovadoras para ter um monitoramento que indique um possível deslocamento que as chuvas podem causar em frentes de deslizamento e gerir o risco”.

Na última sexta-feira (02/12), cerca de 1,1 mil pessoas foram evacuadas por causa de um novo alerta de mau tempo em Casamicciola Terme.

“A evacuação de ontem em Casamicciola foi caracterizada por atividade intensa e frenética nas horas centrais do dia. A operação foi bem-sucedida em geral”, disse o comissário Giovanni Legnini, lembrando que “54 famílias residentes na ‘zona vermelha’ de Casamicciola não se mudaram de suas casas”.

No momento, 341 pessoas estão acolhidas em hotéis, incluindo os desabrigados logo após o deslizamento. Cerca de 90 notificaram que encontraram alojamento independente, e muitos outros mudaram-se por conta própria para casas de famílias e amigos.

Segundo as autoridades italianas, não chove há várias horas na ilha de Ischia e a primeira noite fora de casa para os deslocados parece ter sido pacífica, apesar do medo e das dificuldades.

 

Fonte: Opera Mundi
Foto: Reprodução/Ansa